Pauta Informação e música em harmonia

Teorias do Amor Moderno chega com a forte “Aurora”, no Dia Internacional do Combate à Violência Contra a Mulher

Teorias do Amor Moderno chega com a forte “Aurora”, no Dia Internacional do Combate à Violência Contra a Mulher (Foto: Divulgação)

Teorias do Amor Moderno chega com a forte “Aurora”, no Dia Internacional do Combate à Violência Contra a Mulher (Foto: Divulgação)

Single e clipe foram produzidos por mulheres

Postado em 26/11/2020 por

“Aurora” veio como o “tirar o nó da garganta” diante de tanta negligência com a vida da mulher. Essa é a forte definição da canção lançada ontem, 25, o Dia Internacional do Combate à Violência Contra a Mulher. A banda Teorias do Amor Moderno, abraçou a causa, apesar dela estar sempre presente nas composições da banda.

O empoderamento feminino no dia a dia, nos relacionamentos, em tudo o que abrange um projeto tão denso e importante que o grupo acredita. Sobre a composição, a vocal e guitarrista Larissa Alves conta que “Aurora é diferente, porque ela traz a dor que só pode ser sentida por nós, e por isso ela precisava ser ‘parida’ por mulheres. Então aconteceu o que a música pediu – do início ao fim feita por mulheres”.

Então foi sentido e decidido, a Teorias precisava de participações nesse projeto. O Maurício Rios (baterista) e o William Vazquez (baixista) no mesmo momento entenderam o quão essa música precisava disso e ficaram como espectadores deste trabalho. No total, nove mulheres que deram à luz a “Aurora”. “Um som forte, com frases dolorosas sobre a realidade de tantas de nós [mulheres], mas com um refrão esperançoso, de luta. Não sei te dizer, não pensei em nada no momento de composição como referência musical, “Aurora” foi só sentida. Obviamente depois de pronta, pode-se perceber referências, mais deixo para aquela análise que todos gostam de fazer: ‘Parece com o que?’”, completa Larissa Alves. A música também ganhou videoclipe, assista:

As mulheres envolvidas na produção do single são: Alejandra Luciani, responsável pela produção, captação, mixagem e masterização, Helena Papini (Bula, Urbana Legion, Vespas Mandarinas) no contrabaixo, Theo Charbel na bateria e Larissa Alves na composição, guitarra e voz. Nos bastidores Stephanie Frick e Júlia Pessini, cuidaram de captar as imagens e fazer a edição do clipe que registrou esse encontro que foi a gravação de “Aurora”, que teve ainda Monique Ferreira no planejamento de lançamento e Victoria Ragazzi e Mariana Calheiros cuidando da assessoria de imprensa.
 
“Na busca dessas mulheres e na dificuldade de encontrá-las é que ficou ainda mais nítido esse patriarcado que vivemos, onde tantas profissões, tantos meios ainda são tão masculinizados. Parei pra pensar e muitos que trabalhei, sempre foram homens que foram indicações de outros homens. Não me recordo da indicação de uma mulher no meio musical e seu entorno, a não ser nos momentos em que de fato pedi especificamente a indicação de uma mulher. Não desmerecendo, de forma alguma, qualquer homem que eu já tenha trabalhado, pois tive muita sorte de serem homens incríveis, produtores, músicos, fotógrafos, videomaker, todos que fizeram os trabalhos com a Teorias até hoje, são incríveis e pessoas que eu gosto muito, mas é inegável como tem uma lacuna imensa para igualar a posição da mulher nesse, como em tantos outros meios”, finaliza Larissa.